Glossário

Consulte esta página com frequência

Esta página contém algumas informações importantes sobre as expressões utilizadas no projeto REDE ESCOLA RIO. Consulte esta página com frequência, pois ela estará sempre sendo atualizada de modo a ampliar o vocabulário e atender melhor às demandas das escolas participantes.

Captura de áudio: gravação de sons

Captura de imagem: gravação de imagens

Classificação indicativa: a classificação indicativa dos filmes é feita pelo Ministério da Justiça e consiste na recomendação da faixa etária mínima que a pessoa deve ter para assistir a um filme. Assim, a classificação indicativa de um filme pode ser “L” (livre), quando pode ser assistido por pessoas de qualquer idade, ou pode ser “10”, “12”, “14”, “16” até “18” anos.

Contra plongée: é um posicionamento de câmera no sentido contrário do PLONGÉE. A câmera enquadra o objeto de baixo para cima. Pode ajudar a passar a ideia de que determinada personagem é muito poderosa ou superior aos outros. Esse posicionamento de câmera destaca o objeto que é filmado.

Enquadramento: refere-se à escolha da posição da câmera e ao ângulo em que ela capta os objetos. O enquadramento define o tipo de plano usado, se é Grande Plano Geral; Plano Geral ou de Conjunto; Plano Médio; Plano Americano; Primeiro Plano; Primeiríssimo Plano; Plano Detalhe; Plongée ou Contra plongée.

Gêneros cinematográficos: conjuntos de convenções usados para que o espectador identifique os climas que os realizadores audiovisuais querem transmitir. Exemplos de gêneros cinematográficos são: animação; ficção; documentário; suspense; ação; comédia; terror; família; comédia romântica; drama; ficção científica; político; musical; experimental; aventura e épico.

Grande Plano Geral: o objetivo principal é enquadrar uma grande área, um macro ambiente mesmo captado a longas distâncias.

Metalinguagem: é a linguagem que fala de si mesma. Por exemplo: um filme que fala sobre a produção de um filme, ou uma novela onde os personagens são atores de uma novela. Vale não só para o cinema e a televisão, mas também para livros, textos, poemas, músicas e toda a forma de expressão que fizer uma reflexão sobre a sua própria realização. Um exemplo de filme metalinguístico brasileiro é o longa-metragem Saneamento Básico, de Jorge Furtado.

Plano: é toda a imagem (ou som, no caso de plano sonoro) registrada ou exibida entre um corte e outro. De acordo com a posição da câmera e o ângulo em que ela capta os objetos, os planos podem ser classificados em Grande Plano Geral; Plano Geral; Plano de Conjunto; Plano Inteiro; Plano Médio; Plano Americano; Primeiro Plano; Primeiríssimo Plano; Plano Detalhe; Plongée e Contra plongée.

Plano Americano: tem origem nas cenas de duelo dos filmes de faroeste norte-americanos. A figura humana é enquadrada apenas do joelho até a cabeça, podendo provocar uma aproximação tensa do espectador com a cena.

Plano de Conjunto: com o objetivo de apresentar o personagem ao público se destacando dentro do ambiente. A principal diferença deste para o Plano Geral é a sua intenção de destacar a figura humana e não o cenário.

Plano Detalhe: como é explicitado pelo seu nome, este plano é interessante para evidenciar detalhes minuciosos, pequenos objetos ou partes do corpo, como as mãos.

Plano Geral: neste plano a câmera se posiciona para revelar o cenário à sua frente, reduzindo o espaço da figura humana na tela. Possui um ângulo visual bastante aberto.

Plano Inteiro: enquadra a figura humana por inteiro com algo sobre a cabeça e também sob seus pés.

Plano Médio: enquadra o personagem da cintura para cima.

Plongée: é um posicionamento de câmera em que ela fica voltada para baixo, situando o espectador acima do objeto enquadrado. Para entender o ângulo, pense em um mergulho. No cinema, esse enquadramento é muito usado para passar uma imagem de um personagem indefeso ou inferior a outros, pois dá impressão da pessoa ser pequena em relação ao espaço.

Primeiríssimo Plano: geralmente usado para pontuar aspectos emocionais, este plano busca apenas o rosto, ou até mesmo parte dele, como os olhos. Com foco na expressão facial, ou em pequenos objetos, é um plano bastante fechado.

Primeiro Plano: a figura humana é enquadrada da altura do peito para cima. Conhecido popularmente como “close”, a ideia é destacar o semblante da pessoa em um enquadramento um pouco mais aberto do que o primeiríssimo plano.

Quadro: toda a composição de objetos que se encontra no campo de visão da câmera, ou tudo que se vê na tela.

Roteiro: é o filme em seu formato escrito. O roteiro descreve toda a história do filme, seus personagens, seus diálogos e onde acontecem as cenas. Ele é divido em sequências que indicam onde aquela cena se passa (ex.: quarto do João, teatro, sala de aula) e em que momento do dia a ação acontece (dia, noite, entardecer). Indica também se a cena é INTERNA (se acontece dentro de um estúdio ou na casa de alguém) ou EXTERNA (em um parque ou no meio da rua). O roteiro é utilizado não só em filmes de ficção, mas também em documentários. Além de ser extremamente importante para os atores decorarem suas falas, o roteiro também é essencial para a equipe técnica e a produção saberem em quais locais o filme será gravado (ex.: em um estúdio, um apartamento, uma lanchonete), quais objetos serão usados (ex.: uma mochila, um violão, um computador) e quem vai participar desse filme – como ator ou entrevistado (ex.: uma atriz morena de 30 anos, um ator ruivo muito engraçado, um professor de História do Brasil).

Se você quiser sugerir alguma expressão para acrescentarmos ao nosso glossário, deixe a sua sugestão na seção de comentários abaixo. Agradecemos a sua contribuição.

Comentários

Deixe seu comentário

* Apenas usuários cadastrados e logados podem postar comentários
(Faça seu login ou clique aqui para se cadastrar)